sexta-feira, 27 de março de 2015

Oi! Aqui é Kessi Jones...

Olá! Eu sou a Késsia, irmã da Mila, mais conhecida por Kessi Jones! Rs... E não me perguntem de onde vem este apelido, pois não tenho a menor  ideia! Aliás, acho que nem a própria Mila sabe o motivo ou a origem... Rs...Fato é, que há anos a Mila só me chama de Kessi Jones. Confesso que no início ficava quase que indignada, não entendia o apelido e, para falar a verdade, não o achava nada bonito! Mas a Mila o pronunciava e o pronuncia com tanto carinho que resolvi aceitar ser a Kessi Jones... Rs...

Irmãs

Então... Eu sempre fui muitíssimo ligada à Mila. Lembro-me de quando éramos crianças e fazíamos uma novena com umas senhoras idosas que moravam em uma Comunidade de São Vicente de Paula que ficava próxima à nossa casa, lá em Bom Despacho. Não me lembro qual o dia da semana era o encontro com nossas “velhinhas”, mas era um encontro semanal sagrado. E lá íamos nós duas rezar com as nossas amigas! Acho que íamos mais era conversar, até porque éramos pequenas, eu devia ter meus oito / nove anos e a Mila seus cinco / seis anos. Adorávamos aqueles encontros! As nossas “velhinhas” nos contavam suas histórias e nos serviam bolo com café! Eu e a Mila gostávamos especialmente da Dona Genuína e da Dona Maria dos Gatos (este último apelido foi a Mila quem colocou porque ela tinha muitos gatos em casa, quase que disputávamos o sofá com um dos seus “chaninhos”... kkk). A Mila dava a maior atenção às nossas amigas e se divertia bastante com as histórias de cada uma. Nossos encontros eram sempre muito alegres. 

 Família

A razão de ter começado relembrando esta história é para demostrar que a fé e o jeitinho carinhoso, amigo e acolhedor da Mila não são características recentes da minha ‘irmã-super-amiga’; ao contrário, são traços que a acompanham desde que ela era muito novinha.

Vocês não imaginam como me sinto orgulhosa da trajetória desta minha querida! Tudo nela me agrada! 

E o interessante é que, embora a Mila seja nossa irmã mais nova (somos quatro: Vivi, eu, Cissa e ela), a Mila sempre nos ensinou muitas coisas, a nós três. O amor a Deus, por exemplo, e a valorização da amizade e da família sempre foram muito vivos na Mila. Ah! E também o modo como ela encara os desafios!!! 

A Mila sempre foi excepcional no quesito resolver problemas. Se um desafio (que para nós muitas vezes é visto como problemão) lhe é apresentado, ela encontra uma força interior incrível e, simplesmente, encara o problema e... quando você ainda está digerindo o problemão, a Mila já o resolveu ou, no mínimo, já traçou as estratégias para resolvê-lo. Não tem chororô!

Aliás, me peguei agora tentando lembrar situações em que vi a Mila desesperada, e, juro, não recordei nenhuma! Nem mesmo no dia 04 de dezembro/2014 – quando ela me ligou contando que haviam solicitando a repetição da tomografia e que ela havia acabado de repeti-la... e que o médico tinha afirmado que, na melhor das hipóteses, ela tinha uma tuberculose e, na pior, um câncer – a Mila não se desesperou. Neste dia, ficamos ali... conversando ao telefone, e ela me dizendo que estava pensando em quais os propósitos que Deus tinha para ela. Foi uma conversa tranquila, embora meu coração estivesse agitado. Mas a Mila não me deu a chance de desesperar, simplesmente me disse: “Kessi Jones, não cai uma folha da árvore sem Deus querer!” Desligamos o telefone e eu pensei: “Não é Câncer. Meu Deus, mas e se for...”. 

Bom, concluindo, raríssimas vezes vi a Mila chorar diante de algum dos desafios que os homens ou Deus colocou diante dela.

Acho que já me delonguei mais do que pretendia - rs. Afinal, o meu objetivo inicial era compartilhar com vocês um post que a Mila escreveu poucos dias depois do seu aniversário do ano passado, quando ela estava fazendo doutorado fora do país.

O nome do post é: Você pode ser sua melhor companhia! (obs.: o texto também está aqui em baixo... no post logo depois!).

Através desse texto vocês poderão conhecer um pouquinho mais da Mila, extraordinário ser humano de um metro e meio! Que tem uma fé incrível e uma positividade e alegria contagiantes...

Afff! Desculpem-me, mas tem mais um fato que gostaria de compartilhar com vocês antes de terminar.

Certo dia, já em Houston, a Mila me ligou e no meio da conversa ela disse: “Kessi Jones, sempre achei que o melhor presente que os pais poderiam deixar para os filhos eram os estudos; hoje tenho certeza que é a fé.”.

Isso mexeu muito comigo, me fez rever valores e prioridades, talvez porque Deus já tenha me presenteado com nossos dois presentes maravilhosos, a Sofia e o Heitor.

 Nossa Sossô

Dito isso, deleitem-se como o post da Mila!

Um abraço cheio de fé, alegria e carinho.

#juntoscomcamila

Késsia Leles

7 comentários:

  1. Sensacional o post, Késsia!
    Li uma vez uma frase que escreveram sobre a "Mila e nunca me esqueci: "Casca grossa sem frescura, mas sem perder a doçura."
    Sou fã demais dela, desde sempre!

    ResponderExcluir
  2. Essa é a Camila!!! Linda por dentro e por fora!!! Obrigada pelo post sempre que estiver sozinha lembrarei dele!!!

    ResponderExcluir
  3. Meus parabéns Kessi Jones. Lindo o texto. Nós temos certeza que Deus está olhando a Camila. E será feita a Sua vontade. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Kessi Jones !!!!!
    Até fiquei com saudades da Dona Genuína !!!! Como ela gostava de um vinho!!!!...ssrrsrsrssr.....
    E o quarto de vcs duas em Bh ?????....ssrrsrsrsrsrs......
    Amei o post !!!!!

    ResponderExcluir