terça-feira, 16 de junho de 2015

Dia 103: sobre os milagres que nos trouxeram até aqui!

Oiiii pessoal, tudo bem com todos??? Animação total para começar a semana???

Estou super animada, essa semana tenho muito trabalho!

Como muitos devem ter visto, passamos o dia dos namorados no hospital. Na sexta, 12/06, foi dia de imunoterapia e ficamos até as 19:00 no MD Anderson.

Eu e Chico Lico comemorando o dia dos namorados!!!

Uma sonequinha durante a imunoterapia

Fiz os exames e as consultas na parte da manhã e a tarde fiquei por conta da medicação. É assim praticamente todas as vezes. Chego cedinho em jejum, faço coleta de sangue e urina. Tomo um cafezinho, geralmente um cappuccino e um pedaço de bolo, e depois vou para a consulta com o médico e as enfermeiras. Na sexta tivemos duas surpresinhas:

1) O Dr. William nos informou uma alteração nos exames de urina e fígado. As alterações no fígado são preocupantes porque um dos grandes efeitos colaterais da imunoterapia é uma sobrecarga do fígado, podendo levar a hepatite. Há um mês a enfermeira Beena nos contou que 3 pacientes que começaram o tratamento junto comigo tinham tido uma alteração grande no fígado e que a equipe médica estava averiguando detalhadamente todos os outros pacientes. Depois de me consultar o Dr. William nos pediu para esperar porque ele iria conversar com a equipe e ver a necessidade de diminuir a dose da medicação. Confesso que no tempo de espera fiquei um pouquinho tensa, mas só um pouquinho... a entrega a Deus é a melhor de todas e nos acalma...
A Beena voltou com os resultados e nos explicou que eles não mudarão a dose a princípio, vão esperar para ver se a alteração aumentará, pois a consideraram dentro do limite permitido. Com a Graça de Deus tudo ficará bem e o meu fígado vai aguentar firme e forte!!! Domingo fui à casa da Regiane, minha amiga aqui em Houston, e ela me deu boldo para fazer chá e uma mudinha para o Henrique plantar.

2) Beena e Grayce são as enfermeiras responsáveis por mim no estudo! Elas me conquistaram desde o primeiro encontro... Alegres, divertidas, carinhosas e confiantes. Uma verdadeira dupla dinâmica! Na sexta a Beena me deu uma notícia que me fez chorar: elas receberam uma proposta de trabalho melhor em outro hospital, portanto na próxima consulta será nosso último encontro, como minhas enfermeiras. Meu coração gelou, tenho tanta confiança no trabalho delas que a princípio tive receio dessa mudança... mas depois de rezar e pedir a Deus que iluminasse o caminho delas e que trouxesse outra dupla dinâmica para o meu lado foi que acalmei e lembrei: "não cai uma folha sequer de uma árvore sem que Ele saiba". Confiar em Deus faz tudo ser perfeito!!! Elas se vão para cuidar de outras pessoas que precisam e outras virão para cuidar de mim...

E apesar dos pesares estou ótima, me sinto bem, forte e curada... esse é o grande segredo!!! Obrigada Senhor por tudo que tens planejado!!!

Também tivemos uma surpresa superrrr agradável! Na quinta passada recebemos visitas!!! Surpresa apenas para mim, o Chico sabia de tudo e não me contou nadinha!!!

Tathi, prima do Chico, Ramonzinho, noivo da Thati e o Marlon irmão do Ramon vieram a Houston nos ver!!! A Thati foi para Indiana a trabalho e resolveu dar uma passadinha, kkkkkk, por aqui. Ficaram conosco até domingo e nos proporcionaram um fim de semana muito muito alegre!

Na quinta também encontramos com o Roger e a Ana Paula, tios do Henrique que vieram para Houston a trabalho.

Visitas queridíssimas

Eu com o casal querido!!!

Eu, Chico, Ramonzinho e Tathi!!!

Receber visitas é muito bom e faz com que o tempo passe voando... São sempre anjos enviados por Deus!!!

Que tal agora retomarmos mais um pouquinho da nossa história? Animam?

Ponto de retomada: 17/01, consulta com Dr. Luiz Flávio após saber o resultado positivo do EGFR.

Fomos ao consultório no sábado de manhã e o Dr. Luiz estava nos esperando com um sorriso caloroso no rosto!

Eles nos explicou detalhadamente o que significava a mutação positiva e o quanto isso era bom. Para a mutação positiva nos exons 19 e 21 já existe tratamento muito bem disseminado, ou seja, nada de quimioterapia ou radioterapia. O tratamento mais indicado para esse tipo de adenocarcinoma é a terapia alvo, o paciente toma um medicamento em forma de pílula uma vez por dia e esse medicamento ataca diretamente os tumores. Infelizmente seu efeito tem prazo limitado, em média o corpo responde por apenas 2 anos.  

Depois de explicar detalhadamente o caso, mas sem nos alarmar o Dr. tocou no assunto da imunoterapia. Explicou o que era e enfatizou que ele acredita, a longo prazo, ser a imunoterapia a cura para o câncer. Porém ela existe, como tratamento, para poucos tipos de câncer, e para o adenocarcinoma pulmonar existem estudos avançados, mas não no Brasil.

Ele nos apresentou algumas opções de tratamento fora do Brasil e seus olhos brilharam quando falou da imunoterapia no MD Anderson em Houston e com a possibilidade de conversarmos com um médico brasileiro na equipe do MD. Porém poucas eram as informações sobre como entrar e como pagar.

O Chico estava animadíssimo com essa possibilidade, ele já tinha pesquisado muito e conversado várias vezes com o Dr. Luiz Flávio a esse respeito. Ele estava muito mais a par do que eu e também mais animado, na minha cabeça apenas a terapia local seria suficiente. Nessa consulta percebi que a perspectiva que eu tinha não era tão boa e comecei a ficar animada com a possibilidade da imunoterapia.

Contamos para o Dr. Luiz Flávio sobre o seguro de vida que iríamos receber e sobre a possibilidade de retirar o FGTS para nos ajudar nessa empreitada.

Ficou decidido que ele entraria em contato com o médico brasileiro do MD Anderson para saber a possibilidade de fazer o tratamento lá. Mas de toda forma ele já iria fazer o pedido do remédio da terapia local para a UNIMED.

Saímos da consulta animados e esperançosos, com a certeza de que Deus iria providenciar o melhor!!!

Uma volta no tempo: as vezes até parece engraçado como Deus organiza as coisas e não dá ponto sem nó. Um ano e meio antes decidimos fazer um seguro de vida. Moraríamos na Alemanha por 10 meses e por isso decidimos que seria interessante fazer o seguro. Nem me lembro ao certo como essa decisão foi tomada, só lembro que tomamos...kkkkkk. O Gabriel Neder, consultor da Prudential nos procurou para apresentar os planos e simplesmente decidimos fechar. Optamos por um plano mais baixo e que não fosse tão oneroso, naquela época ainda não sabíamos como seriam as finanças morando na Europa e gastando em Euros. Mas gostamos do atendimento e decidimos fazer o plano. Acreditem, o recebimento da apólice contra doenças graves foi decisivo para a nossa vinda à Houston... contarei mais detalhes sobre isso nos próximos posts.

Vejam como tudo se encaixa, se organiza... são os planos de Deus que não falham nunca se aceitamos a ajuda e nos entregamos nos braços Dele!

Muitas bjoks animadoras
Que nossa semana seja iluminada

Obs. Gostaria de fazer um pedido a vocês: por favor, vamos continuar com as orações, nossa corrente de amor, preces e pensamentos positivos não pode parar!!! Deus fica muitoooo feliz quando tantos filhos se reúnem em orações.  

Obrigada por fazerem parte do #juntoscomcamila, certeza que juntos venceremos!!! #endcancer

Deus no comando e vamos que vamos... Rumo à cura!

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Dia 97: sobre os milagres que nos trouxeram até aqui!

Olha eu aqui novamente!!!

Agora estou mais organizada e consigo escrever e postar as notícias com mais facilidade... E viva a rotina kkkkkkk!

Mais uma vez venho dizer que estou ótima, graças a Deus!!! Para falar a verdade nem sinto que estou doente. Levo uma vida normal, apesar dos remédios e as idas ao hospital!!! Mas acordo todos os dias decidida a viver curada... e assim tem sido meus dias, cheios de bênçãos e amor!!!

A melhor decisão que tomei até hoje foi a de confiar em Deus e não me entregar à doença... vocês precisam ver como tem funcionado!!! Isso não quer dizer que não existem dias ruins... eles existem sim, mas não dou a oportunidade de prevalecerem!!!

E podem ter certeza de uma coisa: cada um de vocês é co-responsável por tudo isso!!! Vocês me ajudam a ser forte com as orações, pensamentos positivos, apoio...

Essa semana terei imunoterapia na sexta, será a oitava sessão de "mata bichinhos" e estamos muito confiantes, certeza que mais uma parcela dos meus pumõezinhos ficará livre das células cancerígenas!!!

Como prometido, vou retomar a história, dos milagres que nos trouxeram até aqui, pós virada do ano de 2015.

Depois de recarregar as energias com a família em Casa Branca era hora de retomar a vida normal. E aí vem a pergunta "será que isso seria possível"?

A gente tinha o diagnóstico inicial, mas ainda não tínhamos o tratamento definido, estávamos esperando os resultados dos exames que foram para São Paulo.

Decidi que continuaria a vida da forma mais normal possível,  não mudaria minha rotina até que isso fosse necessário. Um dia debaixo do chuveiro fiquei conversando com Deus e juntos chegamos à conclusão de que seria bom trancar o doutorado. Durante a conversa Ele me disse: "Você precisa diminuir sua carga de trabalho, tem ficado muito cansada e isso não é bom. Escolha algo para tirar, deixar de lado por um momento...". Eu pensei, pensei e disse a Ele que na minha opinião o doutorado era o que mais me cansava, porque eu me cobrava demais e era um trabalho muito solitário. Mas eu tinha dúvidas porque tudo que diz respeito ao doutorado tinha sido encaminhado de forma tão Divina, eu sabia que Ele tinha colocado o doutorado na minha vida, então eu poderia estar equivocada... talvez fosse melhor dar um tempo em outra coisa." A certeza me veio logo a seguir, com a voz firme e decidida Deus me disse: "Quando encaminhei o doutorado os tempos eram outros, os objetivos outros, agora tudo mudou... faça isso com tranquilidade". Excelente, dúvida eliminada... decisão tomada: trancaria o doutorado!

O diagnóstico ainda não era aberto e apenas a família e os amigos mais próximos sabiam. Dessa forma, retomei o trabalho no dia 05/01. Não podia carregar minha mochila, pois estava proibida de carregar peso, portanto tirei meu "cachorrinho" (mochila com rodinhas) do fundo do baú e resolvi voltar a usá-lo.

Sim, eu trabalhei normal... não fiquei o tempo todo pensando que ia morrer e graças a Deus tinha coisas muito mais importantes a fazer...

Na terça 06/01 decidi retomar as atividades físicas. Eu e o Chico acordamos as 05 da madruga, como era de costume, para correr na Silva Lobo. Ok ok, não consegui correr como antes, mas consegui trotar e isso já era uma vitória com menos de 1 mês de cirurgia. Eu já estava caminhando em Casa Branca, então trotar foi um passo a mais!

No dia 07/01 estava previsto para recebermos os resultados dos exames que tinham ido para São Paulo, mas apenas um chegou em nossas mãos: confirmado o adenocarcinoma com origem nos pulmões! Mais uma vitória alcançada. Mas esse resultado isolado não direcionava o tratamento, para isso era necessário o resultado do EGFR.

O Chico estava em conversa constante com o Dr. Luiz Flávio sobre as possibilidades de tratamento. E eu percebia a animação dele quando se falava na imunoterapia. Ele estava muito empenhado em organizar as coisas para que eu pudesse ser tratada nos EUA, visto que a imunoterapia para câncer de pulmão ainda não existe no Brasil. Tão empenhado estava que decidiu renovar o passaporte para tirarmos o visto. Ele organizou e agendou tudo para que tivéssemos o visto em mãos os mais rápido possível. Por um lado eu achava uma loucura, a gente nem sabia exatamente se eu poderia participar da imunoterapia e para falar a verdade eu nem sabia se era isso que eu queria... Mas ele estava decidido, empenhado e animado!!! Semanas depois eu fui perceber a realidade, o Chico já tinha consciência de que o meu quadro não era nada bom e também sabia que a chance de cura no Brasil não viria pela medicina...

Os dias se passaram e confesso, a ansiedade aumentou... o resultado não saía, o laboratório Mario Pena não respondia nossos questionamentos... Foi aí que resolvemos agir por conta própria.

Descobri para onde o laboratório Mario Pena tinha enviado o material: laboratório Bacchi de São Paulo. Por obra Divina, a Cissoca conseguiu um contato dentro do Bacchi e começamos a questionar a demora. Resultado: ainda não tinham começado a analisar o material enviado. O pq disso tudo? Burocracia e falha de comunicação. Ficamos com raiva... indignados... Sabe aquela sensação de impotência? Foi exatamente isso que senti, tive vontade de chorar... Isso não ia adiantar nada, então mais uma vez entregamos nas mãos de Deus... Ele nos direcionou e o Dr. Luiz Flávio nos ajudou. O Bacchi só faria o exame se pagássemos R$900,00. Um absurdo visto que tudo seria coberto pela UNIMED se essa confusão não tivesse acontecido. Decidimos arcar com o custo, pois não poderíamos esperar mais!!!

A partir de então a Cissoca ligava todos os dias para saber do andamento!!!

No dia 16/01 recebemos o tão esperado resultado: EGFR positivo no exon 21. Ai ai, e o que isso significa? Foi exatamente isso que nos perguntamos quando o resultado chegou por email...kkkkkkk.
Era 17:30 quando o Chico me ligou. Eu tinha acabado de sair do salão e estava bem pertinho de casa. Ele não me disse nada a respeito do exame, só disse que estava com saudade. Cheguei em casa super animada, afinal de contas era sexta-feira... e com câncer ou sem câncer sexta é sexta...kkkkkkk.

Ele me abraçou e me mostrou o email... começamos a agradecer a Deus... mas a gente ainda não tinha certeza do que o resultado significava.

Vejam a foto abaixo:


Negativo para o exon 18
Negativo para o exon 19
Negativo para o exon 20
Positivo para o exon 21

Para ser um bom resultado todos precisavam ser positivo??? Eis a questão...

Mas alguma coisa (Espírito Santo) nos dizia que aquilo era um bom resultado, por isso nos ajoelhamos para agradecer...

O Chico mandou um email para o Dr. Luiz Flavio com o resultado do exame.

As 18:30 o telefone tocou... era o Dr. Luiz Flávio, ele estava radiante com o resultado... EGFR positivo no exon 21, ele disse para o Chico que isso era uma grande vitória, pois os tratamentos relacionados aos exons 18 e 20 são ainda desconhecidos, já para os exons 19 e 21 existem muitas pesquisas em desenvolvimento.

Marcamos uma consulta para o outro dia de manhã, mais uma vez ele iria nos atender no sábado...kkkkk!

Foi a sexta do milagre, nunca vou me esquecer do abraço apertado que nos demos (eu e o Chico), dos telefonemas animadores com a família... da fé e esperança que imanavam...

Viram mais uma vez como Deus é bom o tempo todo??? Ele providencia, Ele cura...

No próximo contarei tudinho sobre a consulta esperançosa com o Dr. Luiz Flávio. Cenas do próximo capítulo...

Feliz demais em poder relembrar e dividir todas as vitórias com vocês!!!!

Abraços bem apertados e bjoks animadoras 

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Dia 90: sobre os milagres que nos trouxeram até aqui!

Oiiiii pessoal, tudo bem com vocês?

Eu estou ótima, graças a Deus!!! Ainda mais depois da "meia vitória" né? Vocês viram o post que a Kessi Jones escreveu? As providências Divinas não param, a gente pede, confia e Ele faz...

Estamos com visitas, a Júnia e a tia Nádia (madrinha do Chico) vieram nos visitar!!! Alegria imensa receber essas queridas.

Júnia e Tia Nádia no MD Anderson

Eu e o Chico trabalhamos durante o dia, por isso só podemos acompanhá-las nos passeios a noite e nos fins de semana. Enquanto trabalhamos, as duas saem para passear e além disso preparam comidinhas...kkkkkk.

É muito engraçado como o tempo se encaminha de organizar as coisas direitinho, não é mesmo? Nós criamos uma rotina e estamos super acostumados com a vidinha aqui. Já se passaram 4 meses, a cidade já não é mais estranha, o caminho do hospital já decoramos, fizemos bons amigos... Deus é realmente muito bom... Ele é bom o tempo todo!!!

Ai ai, 4 meses e ainda não consegui contar toda a história de como chegamos aqui...kkkkkk. Vamos que vamos, retomar de onde paramos...

No último post contei sobre a primeira consulta com o oncologista! Hoje, nosso assunto será os exames realizados pós consulta.

A Cissoca foi para BH ficar comigo, ela e a Vivi foram as responsáveis por me acompanhar nos exames. A essa altura já tínhamos decido que não iríamos para Bom Despacho (cidade onde nasci) no Natal, ficaríamos em BH mesmo, pois a cirurgia estava recente e ainda sentia dores.

Conseguimos marcar  dois exames para antes do Natal, a Tati Rohlfs nos auxiliou nas marcações e brilhou! Fiz a ressonância do crânio no dia 22/12/2014 e o PET Scan no dia 23/12/2014. Além disso, no dia 22 a Vivi levou o material coletado na cirurgia e preparado pelo Dr. Guaxupé, outro anjo nas nossas vidas, no hospital Belo Horizonte para o laboratório Mario Pena. O objetivo era que o Laboratório Mario Pena enviasse o material a São Paulo com o intuito de verificar o tipo de adenocarcinoma e realizar os testes genéticos.

E assim, de braços abertos e coração confiante nos preparamos para a comemoração do nascimento de Jesus Cristo! No dia 24 a Kessi Jones e o Thi chegaram com as crianças, a Maricota e o Ximas também!!! Nos reunimos na casa da Vivi por dois dias... ficamos igual "bicho de monte", todo mundo grudado... A Sosso e o Heitorzinho nos presentearam com a alegria de viver!!! Sinceramente, foi o melhor Natal... Cristo esteve tão presente que a tristeza não teve lugar um momento sequer!!!

Na noite de Natal fomos todos juntos à missa na Paróquia Santo Antônio dos Funcionários... Eu e o Chico fomos ministros da Eucaristia nesse dia, momento melhor não houve, entregar à comunidade o Corpo de Cristo! E mais uma vez eu digo: Deus é bom o tempo todo...

Noite de Natal - Ministros Paróquia Santo Antônio dos Funcionários

Noite de Natal - Ministros Paróquia Santo Antônio dos Funcionários

Partilhamos a ceia na casa da Vivi e do Andrezito, participamos do amigo oculto pelo skype...kkkkk, o pessoal lá em Bom Despacho e a gente em BH...kkkkk. Foi muito divertido.

Gorduchos

No dia 26 partimos para a casa de campo, na qual passaríamos os próximos 9 dias!

Hoje relembrando fico admirada com o planejamento de Deus!!! Ele faz tudo tão certinho... A nossa vontade era passar a virada do ano, com a família toda, em alguma praia. Começamos a procurar casa em outubro e nada deu certo. No meio de novembro chegamos a fechar uma casa em Niterói, mas depois a dona "caiu no mato"... cansadas de tanto procurar desistimos da praia e procuramos casas em algum sítio... e sabe onde fechamos? Em Casa Branca, condomínio do ladinho de BH...kkkkkk. Coincidência??? Não não, providência Divina!!!

Dia 30 tive consultas médicas, mas como o sítio era bem pertinho de BH, a Vivi e a Cissoca me levaram ao hospital e depois voltamos para o sítio...

E no dia 31 tivemos uma grande vitória, uma de muitasssss... a Tati ligou para anunciar os resultados da ressonância do crânio e do PET Scan... Crânio limpo, tumores apenas nos lugares vistos previamente (pulmões direito e esquerdo e mediastino). Vocês não imaginam o alívio de todos... Tínhamos muito o que comemorar... A verdade é que depois de uma notícia devastadora, na qual não nos deixamos sucumbir, Deus nos mostra sua face dia após dia...

Tudo providenciado por Ele... A virada foi muito animada, os pais do Chico e a família do Andrezito também participaram conosco...

Ficar como "bicho de monte" tantos dias não tem preço... fazer piquenique com os gorduchos, brincar de esconde-esconde, sai sai ô piaba, macaco diz... ai que vontade de fazer muito disso novamente com as crianças... Divina Providência, Providenciai...


Piquenique

Todas as vezes que a Sofia me dava os bracinhos para carregá-la eu contava sobre o meu dodói e ela falava assim comigo: "Dinda Mila, eu também tinha um dodói no pé, mas depois ele sumiu. O seu também vai sumir". E eu aguento gente???? Tanto não aguento que sentava no chão, na cadeira ou em qualquer lugar só para colocar minha princesa no colo... amor infinito da Dinda!

Gorducha da Dinda

Foram dias maravilhosos, renovadores... A família é um bem precioso demais, que o Espírito Santo nos ilumine sempre para que possamos amar e respeitar uns aos outros todos os dias! Sabe, é da família que eu mais sinto falta... falar que tem aniversário e que todos vão se encontrar me faz morrer de saudade...

Príncipe Chico Lico na noite da virada

Família muito amada 
Obs. Faltou o Andrezito nessa foto

Já falei muito né.... kkkkkk. Meus posts não rendem, falo demais... começo a lembrar e disparo a escrever!!! Até hoje estava em 2014... No próximo a gente retoma em 2015, ok? 


Bjokssss bem animadoras

segunda-feira, 1 de junho de 2015

A ação judicial. Este é o ponto!

Olá pessoal !!!

Tudo bem?

O objetivo do post de hoje é compartilhar com vocês uma notícia – acho que gostaria de chamá-la de “meia vitória” (rs... vocês entenderão até o final do post) – que muito nos alegrou.

Contudo, antes de falar propriamente da tão festejada “meia vitória”, gostaria de transcrever um pequeno trecho do livro “Comer, Rezar e Amar” que me chamou a atenção quando o li há alguns anos atrás, a ponto de eu transcrevê-lo para uma agendinha onde tinha o costume de escrever pensamentos (sou da época da agenda... kkkk), verbis:

“Sinto que o destino também é um relacionamento – uma inteiração entre a graça divina e o esforço pessoal direcionado.

Sobre metade dele você não tem o menor controle; a outra metade está completamente em suas mãos, e as suas ações terão consequências perceptíveis.

O homem não é nem uma marionete dos deuses nem tampouco é senhor do seu próprio destino; ele é um pouco de ambos.

Galopamos pela vida como artistas de circo, equilibrando em dois cavalos que correm lado a lado a toda velocidade – com um pé sobre o cavalo chamado “destino” e o outro sobre o cavalo chamado “livre arbítrio”.

 E a pergunta que você precisa fazer todos os dias é: qual dos cavalos é qual? Com qual cavalo devo parar de me preocupar – porque ele não está sob meu controle – e qual deles preciso guiar com esforço concentrado? 
(Comer, Rezar e Amar – pag. 185/186)

Obs.: Apenas substituiria “deuses” (no terceiro parágrafo) por DEUS.

Pois bem.

Muitos de vocês, provavelmente, já entenderam o significado desta transcrição para este post e sua direta relação com a trajetória da Mila. Outros, com certeza, estão se perguntando “o quê a Kessi Jones – rs – quer dizer com esta transcrição?”.

É muito simples, a ponto de eu conseguir resumir minha intenção em um silogismo básico:

I – Estava nos planos divinos, nos propósitos de DEUS, a Mila ser acometida por um câncer raro e grave;

II – Diante dessa parcela do destino – sobre a qual a Mila não tinha qualquer controle – coube a ela decidir qual postura tomar: o seu livre arbítrio entrou em cena. Ou seja, coube à Mila, com a parcela que lhe pertence no traçado de sua vida, optar entre se conformar com a doença e deixar as coisas acontecerem ou aceitar a doença, mas a ela não se entregar;

III – A Mila, com fidelidade e confiança, aceitou a parcela do seu destino que Deus permitiu que acontecesse, e diante dela, não teve dúvida: escolheu viver alegre e plenamente! E a partir desta opção, todas as ações que envolvem a Mila tiveram consequências perceptíveis.
...

Ao terminar este silogismo vem um filme na minha mente. Recordo-me da mistura de sentimentos durante e após o telefonema da Mila no dia 04 de dezembro/2014 (falando sobre a repetição da tomografia); do encontro e da conversa que tivemos no dia 09 de dezembro/2014 antes e depois do primeiro procedimento para biópsia; da alegria que tomou conta de nós quando o Dr. Leonardo Brant nos disse que acreditava que teríamos boas notícias, com chance de ser uma inflamação nos pulmões (ainda no dia 09/12/2015); da emoção (e certa apreensão) na Mila ao me contar da experiência que teve com Deus durante aquele procedimento do dia 09/12/2014, quando ELE a segurou no colo e pediu-lhe para que fosse instrumento de evangelização; da força e fé da Mila nos 10 dias em que esteve internada entre o primeiro procedimento e a cirurgia para retirada de material para a segunda biópsia; do telefonema do Henrique me comunicando o resultado da biópsia; dos inúmeros telefonemas entre nós para acalmarmos uns aos outros; dos momentos em eu me ajoelhei diante do Santíssimo e o roguei por permitir que desfrutássemos da companhia da Mila por mais muitos anos; do natal e reveillon juntos; do diagnóstico dizendo que pelos tratamentos existentes no Brasil a expectativa de sobrevida da Mila era de 20 meses; da notícia de que a Mila tinha sido aceita para enfrentar a triagem para se submeter a um moderno tratamento nos EUA, o qual podia curá-la; dos momentos alegres no aeroporto no dia da ida da Mila e do Henrique para Houston; da alegria com a notícia de que ela tinha efetivamente conseguido o tratamento no MD Anderson; da angústia ao saber que o valor do tratamento seria muito além do inicialmente estimado; da gratidão a Deus no dia em que nós todos estávamos aqui em casa (meu pai, minha mãe e minhas irmãs, com os respectivos) e a Mila ligou e, de uma forma incrivelmente forte, nos comunicou que – graças a Deus – haviam detectado uns coágulos que poderiam ser fatais em seus pulmões e que a partir daquele dia ela passaria a tomar anticoagulante diariamente; do telefonema da Nanda me contando que estava pensando em criar uma campanha nas redes sociais para tentar angariar ajuda financeira para o tratamento da Mila; da conversa com o Thiago (meu marido) sobre o ajuizamento de uma ação judicial em face do Estado Brasileiro pleiteando que ele ajudasse no custeio do tratamento da Mila...

Paro o filme neste ponto, pois é ele que importa para este post. Ademais, as lembranças são inúmeras e não cabem neste post.

A ação judicial. Este é o ponto!

Como falamos lá no regulamento da rifa (aqui mesmo no site), ajuizamos uma ação em face da União pleiteando que ela custeasse em parte o tratamento da Mila.

Nosso querido amigo (e também meu concunhado), Alexandre de Almeida Silva (OAB/MG n. 64.107), com muito carinho, dedicação e competência nos auxiliou nesta empreitada. Ele, de forma gratuita, abraçou a nossa causa e ajuizou a referida ação contra o Estado brasileiro.

Fato é, que o Poder Judiciário brasileiro, em memorável decisão do Dr. Guilherme Mendonça Doehler, Juiz Federal da 19ª Vara Federal da Sessão Judiciária de Minas Gerais, em antecipação dos efeitos da tutela, entendeu que o Estado brasileiro deve custear em parte o tratamento da Mila.

Neste ponto, impõe-se uma pequena nota técnica a respeito do processo judicial, a qual tentarei expor de maneira clara.

O processo judicial inicia-se com a petição inicial e finda-se com o trânsito em julgado da decisão de mérito, sendo que no curso dele – entre a propositura da ação e o trânsito em julgado – inúmeros atos processuais podem acontecer, os quais podem ser definitivos ou não.

Na ação ajuizada contra a União, na petição inicial requeremos o custeio parcial do tratamento da Mila e pedimos que - em caráter de antecipação dos efeitos da tutela - a União fosse compelida a custear os gastos com exames, internações, medicações para efeitos colaterais do câncer etc.

O Juiz Federal de primeira instância determinou que a União custeasse os gastos paralelos ao tratamento da Imunoterapia.
A União recorreu, mas também o TRF da 1ª Região encampou a nossa causa, mantendo a decisão de tutela antecipada proferida pelo Dr. Guilherme Mendonça Doehler.

Ato contínuo, na semana passada foi expedido alvará judicial autorizando ao Dr. Alexandre levantar o primeiro valor para custeio dos gastos paralelos, os quais estão sendo rigorosamente comprovados nos autos da ação judicial.

Com este levantamento (fato motivo de imensa alegria), tivemos, mais uma vez, a certeza de que Deus está no comando e que Ele está providenciando a cura da Mila!!!!! Ele coloca anjos em sua vida.

Contudo, como eu disse, o processo não terminou. Está, na verdade, no início, porquanto ainda não teve decisão de mérito. Ou seja, não há decisão definitiva nos autos (por isso falei em meia vitória); mas, por ora, o tratamento da Mila está assegurado!!!

E justamente por causa da meia vitória, faremos uma pausa na campanha #juntoscomcamila no que se refere às ajudas financeiras, mas pedimos a todos vocês que intensifiquem a nossa campanha com orações e pensamentos positivos, incluindo o pedido para que a decisão definitiva de mérito no processo ajuizado em face da União seja favorável à Mila.

Desculpem-me pela extensão do post. Juro que tentei ser sucinta – rss.

Um abraço carinhoso e cheio de fé e gratidão a todos vocês!!!

Késsia Leles.